A ReaPODERE – Rede de Estudos e Afrontamentos das Pobrezas, Discriminações e Resistências surge inicialmente como grupo de estudos com o objetivo de estudar sobre politicas públicas e trabalho infantil visando suas estratégias de enfrentamento e fortalecimento dessas politicas na cidade de atuação. Redenção- CE. Seus estudos se concentravam em discutir a violação de direito de crianças e adolescentes na qual possuíam sua tutela sob responsabilidade de um adulto.

Após a composição do grupo e definidos os objetivos de atuação, a ReaPODERE monta seus pilares conforme as frentes de ensino, pesquisa e extensão, assim atuando a partir de uma abordagem comunitária com perspectivas interdisciplinares. Nesse sentido, o grupo tem como foco de trabalho as implicações psicossociais da pobreza em confluência com perspectivas interseccionais discutindo pontos como  estigmatização e potencialidades de grupos sociais. O grupo também direciona seus estudos a partir da corrente teórica da decolonialidade com o intuito de promover conhecimento critico e implicado com as realidades sociais que vivenciam processos de opressão e subalternização.

No ano de 2016, foram iniciadas inserções comunitárias na comunidade de Estrada Velha por meio de uma lógica de uma extensão universitária. Esta comunidade foi escolhida campo de ação da reaPODERE por contadas diversas privações vivenciadas por moradoras e moradores desse local, assim como da invisibilidade de suas problemáticas perante o poder público e a própria universidade. Desse processo, surgiu o contato com as crianças que sofrem com a situação de pobreza e o interesse de entender de
que forma essas pessoas resistem nesses espaços. Podemos perceber na dinâmica da comunidade movimentos de resistências (como os diversos espaços de lazer experienciados pelas crianças da comunidade) e de opressão (locais passíveis a focos de doenças, criminalidades e violências) que influenciam no desenvolvimento das crianças de forma específica e interseccional.